quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

A TERRA É AZUL!

“São vocês que devem edificar a Sociedade Comunista... sua tarefa é edificar, e só poderão cumpri-la possuindo todos os conhecimentos modernos, sabendo transformar o comunismo, em lugar de fórmulas feitas, conselhos, receitas, prescrições e programas aprendidos de memória, em algo vivo que coordene seu trabalho imediato, sabendo converter o Comunismo num guia de seu trabalho prático.” 

(Lênin, 1920)

Em 4 de outubro de 1957, a União Soviética colocou em órbita da Terra o primeiro satélite artificial, o Sputnik - uma esfera de 58cm de diâmetro e 83,6 quilos, com dois transmissores a bordo, dando mais um importante passo em direção ao espaço infinito, cujo sonho humano é desvendá-lo. Quatro anos depois, em 12 de abril de 1961, Yuri Alekseyevich Gagarin, cosmonauta russo, realizou a primeira viagem do homem ao espaço na cápsula espacial Vostok 1. Numa jornada que durou uma hora e 48 minutos, percorreu cerca de 40 mil quilômetros em torno da Terra numa única órbita. Observando a Terra no interior de sua cápsula espacial Yuri disse: “A terra é azul”.

Yuri Gagarin, o primeiro a cruzar a
fronteira espacial da órbita terrestre
Em 12/04/01 a humanidade comemorou o 40º aniversário do feito soviético mediatizado por Gagarin. A mídia, no mundo inteiro, capitalista ou socialista, veiculou tal fato, embora de maneira factual, enfatizando a personalidade de uns, elevando-os a categoria de gênio individual, de heróis, estabelecendo marcos históricos incorretos, etc... na tentativa de obscurecer a vitória da humanidade alcançada numa formação social na qual se aplicou à prática a teoria revolucionária formulada por Vladimir Ulianov Lênin, na União Soviética. Vários eventos foram realizados na Rússia:

* Seminário “Espaço sem armas”, do qual participaram mais de 250 delegados de cem países e organismos internacionais. Os Estados Unidos e Grã-Bretanha não participaram destas comemorações que expressam as infinitas possibilidades humanas que se materializaram na primeira formação social justa, igualitária - a Sociedade Socialista;

* Festa Popular na cidade natal de Yuri Gagarin, com cerca de 30 mil habitantes, que leva seu nome e tem uma estátua em sua homenagem, onde a população reuniu-se na praça principal e ao som de velhas canções e do hino nacional da ex-União Soviética lembrou o feito histórico - de Yuri, de uma geração e sobretudo do Sistema Sócio-Político que comprovou a possibilidade de realização do velho sonho humano de vencer suas limitações e dominar o Cosmos. Valentin, irmão mais velho de Yuri Gagarin, discursou: “Yuri Gagarin é admirado por todos os russos. É um cidadão do mundo que realizou o sonho de toda a humanidade”. A festa foi encerrada com o lançamento de pequenos foguetes, fabricados pelos alunos das escolas locais;

* Concurso promovido pela rádio “Voz da Rússia”, concurso este que consiste basicamente em perguntas ligadas à história e ao período contemporâneo da cosmonáutica. O envio das respostas poderá ocorrer até 12 de junho de 2001. Os resultados do concurso serão analisados e anunciados nas ondas da “Voz da Rússia” e pela Internet em 15 de julho de 2001;

* Viagem espacial em 29/04/01, quando a Estação Espacial Internacional (ISS), receberá um grupo de tripulantes que farão uma viagem pelo espaço, dentre estes, encontra-se o milionário estadunidense Dennis Tito.

Homenagem da Revolução ao Tsiolkovisk,
o iniciador da era cósmica
Homenagem da Revolução ao Tsiolkovisk, o iniciar da era cósmica “Desde tempos imemoriais o homem acariciou o sonho de ir à Lua e aos Planetas do Sistema Solar. Escreveram sobre isto JulioVerner e Herbert Well; os poetas Valeri Bruísov e Nicolái Zabolotski, os prosadores Tolstói e Alexander Beliálv contribuíram com grande aporte ao desenvolvimento da cosmonáutica. Konstantin Tsiolkovski, o químico Dimitri Mendeleeve, o fisiólogo Ivan Pavlov, o astrofísico Alexander Chizhevski e o naturalista Vladmir Vernadski, os engenheiros Federico Tsander e Serguei Kiroliov.

Vladimir Lênin acreditava profunda e firmemente no esplêndido futuro da cosmonáutica. Dizia que passaria 20, 30 ou talvez 50 anos e o homem soviético, precisamente o soviético efetuaria essa fantástica viagem ao Cosmos.

Yuri Gagarin nasceu em 1934, ainda vivia o grande Tsiolvovski e o jovem Koroliov apenas sonhava com a possibilidade de construir sistemas de foguetes espaciais... transcorridos muitos anos, em abril de 1967, Gagarin escreveria: “Os vôos espaciais são um dos maiores sonhos da humanidade. Nós não nos apercebemos ainda de toda a grandiosidade do que foi consumado, pois são acontecimentos de um passado recente. Há quase 10 anos, foi enviado o foguete espacial soviético que presenteou nosso planeta com o primeiro satélite artificial da história. Conta apenas 10 anos a era cósmica, alvorada da época em que se manifestou o gênio e o trabalho do povo soviético”.
Valentina Tereshkova, a primeira mulher
cosmonauta, e Valeri Bikovski

Valentina Tereshkova, a primeira mulher cosmonauta, e Valeri Bikovski Serguei Barusdin diz no prefácio ao livro “El Programa Espacial Soviético - Páginas de la História”: “De fato a potenciação do Cosmos está ligada inseparavelmente ao grande progresso do país dos sovietes, pode-se dizer inclusive que o Cosmos é a nossa grande era estelar. O Sputinik e o vôo de Gagarin, a fotografia do reverso da Lua e o regresso à Terra com a segunda velocidade cósmica, a descida de estações automáticas nas superfícies de Vênus e Marte, o lançamento de naves espaciais múltiplas, a saída do homem ao abismo espacial, o acoplamento automático de aparatos na órbita, a criação da primeira estação orbital e as primeiras expedições cósmicas internacionais, tudo isso é obra do homem soviético. Não guardamos em segredo nossos descobrimentos espaciais, transmitimos aos nossos colegas do Ocidente e Oriente, comunicamos através da UNESCO e da ONU os métodos e a problemática da exploração do espaço cósmico”.

A realização do grande sonho da humanidade em conquistar o espaço só ocorreu quando a humanidade construiu as condições materiais propícias - um sistema social que permitisse ao homem expandir seu potencial criador, represado pela opressão da classe dominante. Pode ilustrar tal assertiva, as pesquisas do professor Konstantin Tsiolkovski, acerca das possibilidades de alcançar o Cosmo, mais especificamente ir a Marte, iniciadas por volta de 1891. Tsiolkovski produziu 40 livros, cerca de 30 foram editados. Seus livros relatavam suas teorias de vôos interplanetários; idéias acerca do trem sem rodas; cálculos teóricos; física; aeronáutica; história; física-quântica... não obstante a relevância de suas pesquisas para a humanidade, no velho sistema social, Tsiolkovski vivia isolado como se estivesse fora do Planeta Terra.

Por volta de 1920, numa conjuntura difícil, na qual manifestava-se a guerra civil, a fome e o cerco contra-revolucionário, o Poder Soviético toma conhecimento dessas pesquisas. Gorki fora procurado por Alexander Chizhevski, discípulo de Konstantin Tsiolkovski, que lhe falara acerca das mesmas, propondo-lhe que dedicasse sua genialidade literária de modo a que o trabalho fosse acessível à grande massa popular. Gorki, que também sonhara alcançar os céus, as estrelas...Marte, embora de modo poético, inicialmente questionava-se se era cabível planejar ir a Marte, quando a Revolução era desafiada a consolidar-se, a atender às necessidades elementares do homem...

Num congresso internacional Gorki presenciara relatos no qual o expositor atribuíra a si próprio a autoria das teorias de Tsiolkovski. Gorki toma posição esclarecendo, situando historicamente o trabalho do cientista Tsiolkovski. Tal fato chega ao conhecimento de Lênin e a partir daí, pela primeira vez o cientista vê a utilidade de seu trabalho, é reconhecido, “desde a Terra”. Em novembro de 1921, o Poder Soviético concedeu a Tsiolkovski uma pensão vitalícia de 500 mil rublos mensais por reconhecimento de seus méritos.

Arnaldo T. Méndez marcou a presença
de Cuba na conquista Soviética
A importância da conquista do espaço representa para a humanidade muito além do que aparenta de imediato. Tal façanha, além de realizar o sonho de Eratóstenes (276-165 a.C.), Astrônomo grego, o primeiro a medir o tamanho da Terra corretamente e a demonstrar que o diâmetro aproximado da Terra era de 12.713 km; de Claudio Ptolemaeus (Ptolomeu) (120-189), que observou 1.022 estrelas e as catalogou em 48 constelações; de Nicolau Copérnico (1473-1543), autor da teoria de que a Terra não era o centro do universo e sim que ela girava em torno do sol; de Johannes Kepler (1571-1630), que descobriu que a órbita dos planetas é em forma de eclipse e não círculo como se pensava; de Galileu Galilei (1564-1642), o primeiro a utilizar um telescópio para observar o céu, com ele descobriu quatro dos satélites de Júpiter e sustentou que a Terra não era o centro do sistema solar, sendo obrigado pela Igreja a se retratar. Em 1992, o papa João Paulo II reconheceu o erro da Arnaldo T. Méndez marcou a presença de Cuba na conquista SoviéticaIgreja e a importância de Galileu..., alargou o campo do conhecimento acerca das infinitas possibilidades humanas e da natureza; demonstrou que o empenho dos pesquisadores soviéticos sem objetivos belicosos promoveu o aperfeiçoamento da aviação, chamada comercial; o reconhecimento de outros planetas; satélites naturais; as telecomunicações (fixa e celular); criou uma consciência internacional acerca do Planeta Terra, bem como do espaço que o rodeia... as possibilidades de outros países compartilharem o conhecimento cosmonáutico - exemplo: Cuba , França, Vietnã, os países socialistas do Leste Europeu, os próprios americanos, etc. Gestou uma compreensão fraterna entre nacionalidades diversas; impulsionou a difusão do conhecimento a um contingente mais amplo de pessoas em todo o mundo...; do ponto de vista da luta de classes, acionou a busca do conhecimento científico do universo e do próprio homem, condição fundamental para edificação do Comunismo.

Tal realização foi obra do Estado Soviético porque somente no socialismo é possível expandir todas as potencialidades humanas, tendo como objetivo central o próprio homem. Por isso, após 40 anos do feito, o homem de qualquer quadrante do planeta orgulha-se em comemorá-lo. Gorki, certa vez, mandara a seguinte mensagem para Tsiolkovski: “Diga a ele que suas obras pertencem a toda humanidade e sobretudo ao povo soviético. Agora somos excepcionalmente fortes, o Socialismo é a melhor base econômica para tornar realidade as idéias da Cosmonáutica”. Passados vários dias, Gorki ouve pelo rádio a voz do cientista: “Entrego todas as minhas obras de aviação, cosmonaútica e comunicações interplanetárias ao Partido Bolchevique e ao Poder Soviético, autênticos dirigentes do progresso da cultura humana”.

A realidade atual corrobora a assertiva de Gorki expressa na mensagem a Tsiolkovski. Com o desmoronamento do Estado Soviético, pelo menos enquanto o proletariado não retornar a si a construção de sua história de forma revolucionária, as condições materiais do homem explorar outros espaços com fins pacíficos e fraternos estão travadas.

Coletivo Baixada/RJ

Fonte: Jornal Inverta
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário