sábado, 11 de março de 2017

A linha coreana para a construção socialista

Na última década do século passado, ante a derrocada do socialismo em alguns países, os imperialistas e outros reacionários repetem freneticamente em "fim" do socialismo e "triunfo" do capitalismo e maquinam todo tipo de artimanha para isolar e estrangular a RPDC.

Em sua obra clássica "Lições históricas da construção socialista e a linha geral de nosso Partido", o camarada Kim Jong Il assinala que o fato de que o socialismo em alguns países fracassaram, ressurgindo o capitalismo, na verdade é um fenômeno isolado e temporal, considerando a marcha da história. Para o camarada Kim Jong Il, a experiência desses países, de restauração capitalista, elucidam com clareza para as massas populares que, detentora da força criadora, para um melhor desenvolvimento das lutas e da construção socialista.

Em épocas passadas, o povo coreano sob a direção do Partidos dos Trabalhadores da Coréia (PTC) avançou na elaboração genuína de uma linha de construção socialista próprio de nosso país. 

O fortalecimento das massas populares e elevar a habilidade intelectual e técnica da classe operária, assim como o seu papel social; assim, desenvolver as revolução ideológicas, técnicas e cultural, constituindo assim nossa linha para a construção socialista, de acordo com as necessidades de nosso país. 

O Partido dos Trabalhadores da Coréia (PTC) assumiu a revolução ideológica como tarefa de suma importância na luta para a construção do socialismo. O desenvolvimento da teoria revolucionária com características coreanas, o Juche, construída a partir das características e necessidades de toda a sociedade, alcançou a unidade ideológica entre o povo. Dessa forma, o PTC contribuiu para a luta para libertar o povo das amarras do obscurantismo religioso e da cultura de viés burguês. 

Na RPDC, as condições difíceis que se encontravam a revolução no princípio de sua construção, encontrou no esforço ideológico sistemático, a educação gratuita e de qualidade combinada com o bem-estar social, fortaleceu a construção do socialismo e é isso que inspira nosso continuo desenvolvimento e sentimento revolucionário das massas. 

O pleno desenvolvimento da cultura e da arte originária representa a aspiração e de independência do povo, uma face das demandas revolucionarias das massas.  Literatura, arte, saúde pública, desportos e todas as outras práticas culturais têm uma grande incorporação das massas, tornando-se uma parte de sua existência, que permite que todos os membros da comunidade participam na criação de cultura e desfrutar de seus benefícios, tornando todos os seus recursos intelectuais no progresso da cultura socialista e desenvolvimento de atividades culturais e recreativas sem obstáculos de diferentes ordens. Predomina entre nosso povo uma moral socialista nobre que favoreça o respeito e cooperar e compartilhar alegria e tristeza, e em toda a sociedade estilo de vida saudável socialista governado.

Através da moral elevada do povo, que se reconhece em si mesmo, o trabalho criador reflete em todas as relações sociais e garantem a economia auto-sustentável e avanços técnicos, possível somente com o exercício da autonomia ideológica, soberania política para consolidar e do independência da nação.

Assim, na revolução técnica RPDC acordo com as características reais da nação e com o apoio das actividades criativas das pessoas, mantendo-se firmemente a posição nativa para alcançar um elevado nível de desenvolvimento com recursos nacionais, a modernização foi executada e a base científica da economia nacional. O aprofundamento e sucesso da revolução é fruto de trabalhadores criativos.

O povo coreano adquiriu, através dos desafios, a convicção de que só o socialismo pode acabar com todas as formas de opressão, submissão e da desigualdade social e assegurar uma verdadeira liberdade e igualdade, uma existência feliz e digna, e, portanto, continuar é a maneira de realizar seu ideal de independência. O socialismo tem raízes profundamente em sua alma como a própria existência da vida.

Adaptado de: Revista Corea Hoy. Janeiro de 2017.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário