quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Os 23 anos do Jornal INVERTA é comemorado em Fortaleza

Militantes do PCML, Juventude 5 de Julho, Comitê de Luta Contra o Neoliberalismo , Centro de Educação Popular e Pesquisas Econômicas e Sociais e amigos do Jornal INVERTA comemoraram nesta quarta-feira, 15/10, os 23 anos desse importante periódico comunista, em Fortaleza, capital cearense.  Inicialmente foi realizada uma saudação pelas representações presentes e depois proferida uma palestra pelo professor Aluísio Bevilaqua “Os 23 anos do Jornal INVERTA e a luta pela Revolução Comunista no Brasil”.  O evento também contou com a jornalista Bianka de Jesus,  que falou da importância do INVERTA como periódico comunista com mais longa circulação ininterrupta no país. Na ocasião também se comemora os 22 anos da circulação do Granma Internacional no Brasil e os 10 anos do Acordo Prensa Latina-Cooperativa INVERTA.

Além da comemoração do aniversário do Jornal INVERTA, a atividade inaugurou oficialmente a sede onde serão realizadas as atividades da Juventude 5 de Julho, Comitê de Luta Contra o Neoliberalismo e CEPPES.

O evento teve início às 20:00h na Bela Vista,  bairro popular da periferia de Fortaleza. Na abertura, representações do PCML, Juventude 5 de Julho, CEPPES e CLCN fizeram a saudação inicial, reafirmando a importância do periódico e disseminação da teoria revolucionária na formação política, principalmente entre os jovens. Também foi feito  o resgate da história do Jornal INVERTA, que nasceu no período de avanço do capitalismo sobre os países que formavam a União Soviética e o campo socialista do Leste Europeu;  no momento em que o capitalismo anunciou sua hegemonia perante o mundo com a famigerada tese  de que o capitalismo era então eterno, que já não havia mais classes e que era esse o fim da história.

O Jornal INVERTA, nesse momento tão difícil de nossa história, reafirmou a luta pelos ideais revolucionários em torno do Marxismo-Leninismo.

O professor Aluísio Bevilaqua em sua fala afirmou que o INVERTA cumpre o papel de organizador popular dentro do processo de luta de classes e que seu surgimento é parte de uma história de lutas do povo brasileiro, desde as revoltas na época colonial, a luta contra a escravidão, dos imigrantes e os movimentos de 5 de julho de 1922, 1924 e 1935. Estes fatos construíram com sangue a nossa brasilidade e pavimentou o caminho trilhado nos embates hoje em dia.  Disse ainda que são justamente na organização popular que brotam as condições para o movimento revolucionário, são como “nascentes para um rio caudaloso”.

O momento em que vivemos é decisivo e é de suma importância organizar o povo para o acirramento da luta de classes.  Essa mobilização deve ter como objetivo a unidade das forças progressistas nos Comitês de Luta Contra o Neoliberalismo e pelo Socialismo, e nesse momento de eleições burguesas,  politizar este processo com a proposta de responder a crise do capital com um novo paradigma de sociedade, a sociedade comunista.


Sucursal CE
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário