quarta-feira, 26 de novembro de 2014

A desigualdade econômica tem alcançado níveis extremos

De Gana para a Alemanha, da África do Sul para a Espanha ... O fosso entre ricos e pobres está aumentando rapidamente. Em 2013, sete em cada dez pessoas viviam em países onde a desigualdade era maior de 30 anos, e segundo relatório da organização Oxfam, em 2014, apenas 85 pessoas têm a mesma metade mais pobre da riqueza da humanidade.


A extrema desigualdade corrompe política e reduz o crescimento econômico.

Exacerba a desigualdade de gênero e causa vários problemas de saúde e sociais. Reduzir a mobilidade social, condenando as famílias permanecem pobres para as gerações, enquanto outros gozam de privilégios ano. Alimentações Crime e até mesmo conflitos violentos. Estas consequências corrosivos em detrimento a todos, mas é o pobre que sofre o maior impacto.

Este relatório explora as causas que levaram à crise da desigualdade e propõe soluções concretas para superá-lo. Com base em estudos de caso de todo o mundo, o relatório mostra o impacto que o aumento da desigualdade tem em países ricos e pobres, e discute as diferentes estratégias adotadas ambos os indivíduos e governos para responder a ela.

O mundo está cansado do fosso entre os ricos do resto, e exige regras mais justas. Este relatório da Oxfam faz parte de uma nova campanha que contribui para o crescente movimento para acabar com a desigualdade extrema.

No relatório. a Oxfam apresenta novas evidências de que o fosso entre ricos e pobres está a aumentar e que é um obstáculo para acabar com a pobreza no mundo.

Se a Índia freasse o aumento da desigualdade, poderia acabar com a pobreza extrema de 90 milhões de pessoas vivem em 2019.

"A extrema desigualdade em termos de renda e riqueza que existe em grande parte do mundo é mau para a nossa economia e da nossa sociedade, e mina a nossa política. Enquanto esta situação deve nos preocupar a todos, a verdade é que eles são as pessoas mais pobres sofrendo mais. não só as suas vidas são afetadas por grandes desigualdades, mas também falta, em grande parte, a igualdade de oportunidades relatório da Oxfam lembra-nos, de uma forma muito oportuna, qualquer iniciativa que pretende realmente erradicar a pobreza tem de lidar com decisões de políticas públicas que criam e perpetuam a desigualdade. "

Joseph Stiglitz
professor de la Universidad de Columbia y premio nobel de Economía
Publicado originalmente no Site da OXFAM
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário