domingo, 26 de fevereiro de 2017

O Caráter Criador da Filosofia Marxista-Leninista

O marxismo-leninismo e sua teoria filosófica — o materialismo dialético e histórico — é uma doutrina criadora que se desenvolve e se enriquece simultaneamente com o desenvolvimento da luta de classes do proletariado e de toda a vida social. Dando respostas científicas aos problemas que surgem durante a luta revolucionária do proletariado, o marxismo ao mesmo tempo desenvolve e enriquece sua teoria. Caracterizando a natureza criadora dessa doutrina, J. V. Stálin afirma:
"O marxismo, como ciência, não pode permanecer no mesmo lugar: desenvolve-se e se aperfeiçoa. Em seu desenvolvimento, o marxismo não pode deixar de enriquecer-se com a nova experiência e com os novos conhecimentos; por conseguinte, algumas de suas fórmulas e conclusões não podem deixar de modificar-se com o tempo, não podem deixar de ser substituídas por fórmulas e conclusões novas, que correspondam às novas tarefas históricas." (J. V. Stálin — O Marxismo e os Problemas de Linguística, ed. russa, pág. 55; ver revista Problemas, nº 35, pág. 55).
O caráter criador do marxismo-leninismo é um indício da grandiosa força dessa teoria. E a única teoria capaz de refletir rápida e profundamente as modificações nas condições da vida social, notar o novo em desenvolvimento, dar uma explicação científica dos novos fenômenos e servir, assim, de guia para a atividade prática. A marxismo criador acha-se indissoluvelmente ligado ao sentido do novo. Justamente por isso o marxismo não é algo estagnado, mas desenvolve-se e se enriquece sem cessar.

J. V. Stálin revelou em toda sua plenitude as particularidades distintivas do marxismo criador. A atitude criadora em relação ao marxismo pressupõe, em primeiro lugar, não o reconhecimento exterior do marxismo, mas sua realização na prática; em segundo lugar, ser concreto na determinação dos caminhos e dos meios para a realização do marxismo, e escolher esses caminhos e esses meios de acordo com a situação real; em terceiro lugar, a formulação de conclusões não à base de analogias e paralelos históricos, mas através do estudo das condições ambientes; em quarto lugar, a verificação, pela prática, de sua atividade.

À base da análise da nova experiência histórica e das novas leis, o marxismo-leninismo substitui as teses obsoletas por novas teses, que correspondam às novas condições históricas. A fórmula de Lênin sobre a possibilidade da vitória do socialismo num só país, considerado isoladamente, substituiu a velha fórmula de Marx e Engels sobre a vitória simultânea da revolução socialista em vários países. A fórmula do camarada Stálin sobre a manutenção do Estado no socialismo com a existência do cerco capitalista tornou mais precisa a fórmula de Engels sobre os destinos do Estado socialista, etc.

O Partido, afirma o camarada Stálin, vaguearia nas trevas e a teoria marxista definharia se as velhas fórmulas não fossem substituídas por novas fórmulas, correspondentes à nova situação histórica.

Assim, a natureza criadora do marxismo reside em que essa doutrina não admite conclusões e fórmulas invariáveis.

Mas, como observa o camarada Stálin, essa particularidade não esgota o caráter criador do marxismo. No desenvolvimento do marxismo as fórmulas e conclusões não se modificam simplesmente. O camarada Stálin afirma que
"o marxismo exige o melhoramento e o enriquecimento das velhas fórmulas, à base da análise da nova experiência, mantendo-se o ponto de vista do marxismo (...).” (J. V. Stálin – Obras, ed. Russa, t. IX, pág. 99).
O ponto de vista do marxismo são seus princípios inabaláveis que não podem modificar-se no curso do desenvolvimento social. A conclusão da inevitabilidade da substituição da sociedade capitalista pela comunista é uma tese do marxismo que não pode ser substituída por nenhuma outra. Já as fórmulas isoladas sobre os modos de obter a vitória do socialismo (em todos os países ao mesmo tempo ou primeiro num só país) não são absolutas, mas transitórias e não podem deixar de modificar-se com o desenvolvimento e modificação das condições históricas. Por conseguinte, modificam-se fórmulas isolaladas do marxismo, conservando-se a essência do marxismo, seus princípios.

O que significa dominar a teoria marxista-leninista ? Significa saber orientar-se pelos princípios dessa doutrina na atividade prática, saber aplicá-los às condições concretas.

"Dominar a teoria marxista-leninista não significa absolutamente decorar todas as suas fórmulas e todas as suas conclusões e agarrar-se a cada letra dessas fórmulas e dessas conclusões. Para dominar a teoria marxista-leninista, é necessário, antes de tudo, aprender a distinguir entre sua letra e sua essência.

Dominar a teoria marxista-leninista significa assimilar a essência dessa teoria e aprender a utilizar essa teoria na solução dos problemas práticos do movimento revolucionário nas diferentes condições da luta de classes do proletariado.

Dominar a teoria marxista-leninista significa saber enriquecer essa teoria com a nova experiência do movimento revolucionário; saber enriquecê-la com novas teses e conclusões; saber desenvolvê-la e fazê-la avançar, sem hesitar — partindo da essência da teoria — em substituir algumas de suas teses e conclusões que já se tornaram obsoletas, por novas teses e conclusões que correspondam à nova situação histórica." 

O esquecimento dessas indicações leva inevitavelmente ao dogmatismo. Transformar o marxismo em dogma é uma tendência a sufocar sua alma revolucionária, a transformar os princípios combativos e revolucionários do marxismo em dogmas mortos e secos, a castrar o conteúdo vivo do marxismo.

O dogmatismo se caracteriza pela separação entre a teoria e a prática, a fuga para o campo da teorização escolástica. O dogmático, o talmudista, o escolástico, parte unicamente de citações e não da experiência viva da prática, da realidade. Sem penetrar na essência da questão, o dogmático, o escolástico, o talmudista, estende mecanicamente os pronunciamentos dos clássicos do marxismo-leninismo, que se referem a condições históricas determinadas e concretas, a todos os tempos e a todas as épocas. O dogmático é inimigo da dialética marxista. A falta de compreensão e a negação das ideias do desenvolvimento, a falta de historicidade no tratamento das questões, são traços típicos do dogmatismo. Ao mesmo tempo, o dogmatismo associa-se ao idealismo. Ao invés de partir dos fenômenos da realidade objetiva, o dogmático parte de esquemas mortos, os quais tenta impor à realidade viva.

O marxismo é inimigo do dogmatismo. O marxismo surgiu, desenvolveu-se e temperou-se na luta contra todo dogmatismo. Não é por acaso que, na época do imperialismo, os inimigos do marxismo escolheram o dogmatismo, como arma envenenada, em sua vil luta contra a doutrina marxista. Lênin e Stálin desmascararam e desbarataram as tentativas de substituir o marxismo criador pelo dogmatismo. Os grandes corifeus do marxismo, Lênin e Stálin, muito desenvolveram, criadoramente, a teoria marxista.

No genial trabalho O Marxismo e os Problemas de Linguística, o camarada Stálin eleva a luta contra o dogmatismo a novo nível. No país do socialismo vitorioso o dogmatismo tem como fonte a fraca assimilação das bases do marxismo-leninismo, a incapacidade de empregar as ideias básicas dessa doutrina à atividade prática.

No trabalho O Marxismo e os Problemas de Linguística, o camarada Stálin ressalta a significação atual da assimilação criadora do marxismo e da luta decisiva contra o dogmatismo. A passagem do socialismo ao comunismo exige que os homens soviéticos mantenham uma atitude criadora na solução das tarefas que se apresentam e tenham capacidade de encontrar novos caminhos para a solução das questões da teoria e da prática. Entretanto, as pessoas prisioneiras do dogmatismo pensam que, se decorarem conclusões e fórmulas do marxismo, como tabela de multiplicação, e

"aprenderem a citá-las a torto e a direito, estarão em condições de resolver toda e qualquer questão, esperando que as conclusões e fórmulas aprendidas lhes sirvam para todos os tempos e para todos os países, para todas as circunstâncias da vida.”

O camarada Stálin ensina que o antídoto mais decisivo contra o dogmatismo é a assimilação de teoria marxista-leninista e seu emprego ativo na prática de construção do comunismo. Assim, a profunda compreensão do marxismo é impossível sem uma atitude criadora em relação ao mesmo. Utilizar de maneira criadora a arma do marxismo-leninismo significa aguçá-la e aperfeiçoá-la constantemente.

No decurso de cem anos de existência e de desenvolvimento da filosofia marxista confirmou-se na prática sua grande força e eficácia. O vigor e a vitalidade do materialismo dialético são comprovados por toda a marcha da história moderna, pela experiência da vida e da luta revolucionária de milhões de trabalhadores. Nenhuma doutrina na história da humanidade foi confirmada tão brilhantemente pela própria vida como a grande doutrina de Marx, Engels, Lênin e Stálin.

No artigo Os Destinos Históricos da Doutrina de Karl Marx, Lênin escreve:
"Após o surgimento do marxismo, cada uma das três grandes épocas da história universal trouxe-lhe novas confirmações e novos triunfos. Mas a época histórica que vai começar trará ao marxismo, doutrina do proletariado, um triunfo ainda maior.”(V. I. Lênin — OBRAS, 4ª ed. russa. t. XXVIII, pág. 547)
Sob a bandeira da concepção marxista-leninista do mundo o socialismo conquistou na URSS uma vitória completa e nosso país ingressou no caminho da passagem gradual do socialismo ao comunismo.

A vitória do socialismo na URSS, a construção do socialismo nos países de democracia popular, a vitória do povo chinês sobre as forças da reação — são uma notável comprovação do poderio do marxismo-leninismo e de sua doutrina filosófica. Acelera-se cada vez mais o movimento dos países de democracia popular para o socialismo. A construção do socialismo se tornou a tarefa fundamental da República Democrática Alemã.

O marxismo-leninismo é a estrela polar para todos os povos do mundo, fanal inextinguível que ilumina o caminho da humanidade para o comunismo. Com o esplendor de seu gênio o camarada Stálin ilumina aos trabalhadores de todo o mundo o caminho para um futuro melhor, o caminho do comunismo. Henri Barbusse escreve a respeito do grande Stálin:

"Em toda sua estatura ele se ergue sobre a Europa e a Ásia, sobre o passado e sobre o futuro.”

A teoria marxista-leninista, enriquecida pelo camarada Stálin, é uma poderosa força que mobiliza as massas e transforma o mundo.

Armados com a todo-poderosa concepção marxista-leninista do mundo, os Partidos Comunistas de todo o globo conduzem a humanidade progressista pelo caminho que leva ao comunismo.

M. A. Leonov

FONTE: Materialismo Dialético. Academia de Ciências da URSS. Editorial Vitória Ltda., Rio, 1955.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário