domingo, 26 de fevereiro de 2017

O Partido Comunista se Consolida Depurando-se dos Elementos Oportunistas

A fonte do divisionismo dentro do Partido são seus elementos oportunistas. O proletariado não é uma classe fechada. A ele afluem continuamente elementos procedentes das camadas camponesas, da pequena burguesia, do campo intelectual, proletarizados pelo desenvolvimento do capitalismo. Ao mesmo tempo, na camada superior do proletariado, principalmente entre os funcionários sindicais e entre os parlamentares, cevados pela burguesia a expensas dos super-lucros coloniais, verifica-se um processo de decomposição.
"Esta camada de operários aburguesados, disse Lenin, ou de "aristocracia operária", completamente pequeno burgues quanto a sua maneira de viver pela quantia de seus emolumentos e por sua mentalidade, é o apoio principal da ll.ª Internacional e, hoje em dia, o principal apoio social (não militar) da burguesia. Estes, pois, são os verdadeiros agentes da burguesia no seio do movimento operário, os representantes operários da classe capitalista, os verdadeiros porta-vozes do reformismo e chovinismo". (Lenin, t. 19 pág. 77, "O Imperialismo, Etapa Superior do Capitalismo", prólogo para as edições em francês e alemão).
Todos estes grupos pequeno-burgueses penetram, de um modo ou de outro, no Partido, levando a este o espírito da vacilação e do oportunismo, o espírito da desmoralização e da incerteza. São eles, principalmente, os que constituem a fonte do fracionismo e da desagregação, a fonte da desorganização e do trabalho de sapa realizado dentro do Partido. Fazer a guerra ao Imperialismo tendo na retaguarda tais "aliados", equivale a cair na situação do homem que se encontra entre dois povos, entre os disparos da frente e da retaguarda. Por isso, a luta implacável contra esses elementos, suo expulsão do Partido, são a condição prévia para lutar com exito contra o Imperialismo.

A teoria de "superar" os elementos oportunistas, mediante a luta ideológica travada dentro do Partido, a teoria de "liquidar" esses elementos dentro dos limites de um só Partido é uma teoria podre e perigosa, que ameaça condenar o Partido à estagnação e ao mal-estar crônico, que ameaça sacrificar o Partido ao oportunismo, que ameaça privar o proletariado do seu Partido revolucionário, que ameaça despojar o proletariado de sua arma principal na luta contra o Imperialismo. Nosso Partido não teria podido encontrar o seu caminho, não teria podido tomar o poder e organizar a ditadura do proletariado, não teria podido sair vitorioso da guerra civil, se tivesse conservado, em suas fileiras, os Martov e os Dan, os Potresov e os Axelrod. Se o nosso Partido pôde forjar dentro de suas fileiras uma unidade interna e uma coesão nunca vista, se deve antes de tudo ao fato de que soube limpar-se a tempo da escória do oportunismo, lançar fora do Partido os liquidacionistas e mencheviques. Para desenvolver e consolidar os partidos proletários, cumpre depurar suas fileiras de oportunistas e reformistas, de social-imperialistas e social-chovinistas, social-patriotas e social-pacifistas. O Partido se fortalece depurando-se dos elementos oportunistas.
"Não é possível triunfar na revolução proletária, disse Lenin, não é possível defendê-la, tendo nas próprias fileiras, reformistas e mencheviques. Isto é evidente no terreno dos princípios. A experiência da Rússia e da Hungria o confirma vivamente... Na Rússia, temos atravessado muitas vezes situações difíceis, em que o regime soviético, teria sido inevitavelmente derrotado, se as mencheviques, reformistas, democratas pequenos burgueses houvessem continuado dentro do nosso Partido... Na Itália, segundo opinião geral, as coisas marcham para lutas decisivas entre o proletariado e a burguesia para conquista dos poderes. Em tais momentos não só é absolutamente necessário eliminar do Partido os mencheviques, os reformistas, os turatianos como também inclusive pode ser útil afastar de todos os cargos responsáveis aqueles que mesmo sendo excelentes comunistas, sejam susceptíveis de vacilações e manifestem inclinações para a "unidade" com os reformistas... Às vésperas da revolução e nos momentos da luta mais encarniçada por seu triunfo, as mais leves vacilações dentro do Partido, são capazes de "pôr tudo a perder", de fazer fracassar a revolução, de arrancar o poder das mãos do proletariado, já que este poder não está ainda consolidado e as arremetidas contra ele são ainda demasiados fortes. Se em um momento assim, são afastados os dirigentes vacilantes, isto, longe de debilitar, fortalece tanto o Partido quanto o movimento operário e a revolução". (Lenin, t. 25 pgs. 462-4, "Falsos discursos sobre a liberdade").

J. V. Stálin

Extraido de: Sobre os Fundamentos do Leninismo.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário