quinta-feira, 23 de março de 2017

Brasil: Os pecados da carne

Para além do consistente dano infligido à economia brasileira, a operação Carne fraca, levada a cabo pela Polícia Federal (PF), corroborou para demonstrar que o grupo político responsável pelo golpe de Estado contra a presidenta constitucional Dilma Rousseff ''é visceralmente corrupto''.

A avaliação foi feita aqui pela bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) no Senado Federal e sustenta-se no fato de que as denúncias formuladas pela PF atingem de cheio o governante Partido do Movimento Democrática Brasileiro (PMDB) e o Partido Progressista (PP), dois pilares da denominada base de apoio.

Curiosamente, ao dar detalhes sobre o procedimento -que mobilizou a mais de 1.100 policiais- o delegado federal Maurício Moscardi Grillo se limitou a afirmar que parte do dinheiro pago a promotores sanitários em troca de licenças corruptas e inspeções irregulares aos frigoríficos abastecia as arcas do PMDB e do PP.

De qualquer modo, esclareceu, não foram identificados os políticos beneficiados 'porque nosso foco eram a saúde pública, a corrupção e a lavagem de dinheiro'.

Revelou, também, que em decorrência das investigações foi interceptada um telefonema entre o ministro de Justiça, Osmar Serraglio, e Daniel Gonzalves Filho, apontado como líder do esquema criminoso montado em vários frigoríficos para facilitar a produção e comercialização de alimentos adulterados.

Segundo Moscardi Grillo não foi possível identificar nenhuma conduta delitiva por parte de Serraglio, que então era deputado federal e gostava de chamar 'grande chefe' a seu afilhado político e ex-superintendente regional do Ministério da Agricultura, preso no próprio dia 17 quando se realizou a operação.

Mas o flamante titular de Justiça não parece ser o único integrante do gabinete Temer vinculado com a Carne fraca....e corrupta.

Em seu blog Outras palavras, o jornalista Alceu Luis Castillo pergunta-se por que a imprensa blinda o ministro de Agricultura, Blairo Maggi, um dos maiores produtores de soja e milho do mundo, quando a PF também livrou uma ordem para investigar seu gabinete, porém este tinha solicitado uma licença de 10 dias justo na noite anterior à ação policial.

Castillo recorda também que em agosto passado Maggi anunciou que reduziria a fiscalização sanitária, a concentrando onde existissem maiores riscos, e um dos ramos excluídos foi o da avicultura, justamente um dos centros da operação da Carne fraca.

ATAQUE EXTERNO 

O pesquisador de política exterior Danilo Braganza assegura não ter dúvidas de que a arremetida da PF contra um dos setores económicos mais importantes de Brasil, o de carne, faz parte de um ataque externo.

Não é teoria da conspiração, mas também não é difícil entender acontecimentos relacionados entre si, disse e recordou que em menos três anos -exatamente o tempo que leva a operação anticorrupção Lava Jato- 'nossas grandes correntes produtivas foram transformadas em nada'.

Nesse sentido, o jornalista Florestan Fernandes Júnior apontou que três competidores brasileiros incomodavam nos Estados Unidos: o petróleo, as empresas de construção civil e a indústria de embutidos, algumas das quais chegaram a se transformar em multinacionais e tinham forte presença na América Latina, África e Ásia.

Operavam com a mesma desenvoltura para ganhar licitações como fazem-no as grandes empresas do mundo: Siemens, Alstom, Bombardier, etc, todas investigadas recentemente, mas preservadas e trabalhando com normalidade, inclusive aqui, no Brasil, em obras como a do metro, afirmou.

Uma opinião em concordância com esta foi exposta no jornal digital Brasil 247 pelo comentarista Ribamar Fonseca, para que o maior beneficiado com a desmoralização do sistema político e jurídico, o retrocesso social e a devastação econômica do país é Estados Unidos.

Golpistas e Lava-Jato, tomados das mãos, estão a destruir Brasil; atuando em duas frentes contra os interesses nacionais, (o presidente Michel) Temer de um lado e fiscais (de Lava Jato) e a Polícia Federal do outro, advertiu.

O verdadeiro é que uma ação (a operação Carne fraca) catalogada por a ex-ministra de Agricultura Katia Abreu de 'mediocre, infantil e baixa' ocasionou à economia brasileira grandes perdas em menos de uma semana e colocou também em risco a um setor que garante emprego a mais de quatro milhões de pessoas.

Bianka de Jesus

FONTE: Prensa Latina.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário